O nosso website utiliza cookies para lhe identificar e aprimorar a sua experiência de navegação.
Alguns cookies são necessários, outros são utilitários, analíticos ou de marketing. Ao continuar navegando, você concorda com os termos da nossa Política de Cookies.

As fases do desenvolvimento dos pequenos

Não é incomum observarmos os pais comparando os seus filhos, tentando entender se o desenvolvimento deles está adequado, e se há algo que podemos fazer para estimular nossas crianças. Para isso, é importante saber o que esperar em cada fase, mas sempre levando em consideração que cada criança é única e seu desenvolvimento também.

Para falar sobre desenvolvimento infantil, estamos nos baseando em uma teoria bem conhecida: a Teoria de Piaget. Através dessa teoria, vamos explicar cada fase de desenvolvimento e os estágios específicos que as crianças passam, de acordo com seu intelecto e capacidade de perceber relacionamentos mais maduros.

Esses estágios ocorrem na mesma ordem em todas as crianças do mundo todo. No entanto, a idade com que acontecem pode variar de uma para outra.

Os estágios de Piaget são processos de desenvolvimento humano que ocorre no tempo. Veja alguns exemplos:

  • Linguagem: o tipo de linguagem que as crianças usam dependem de sua idade, por isso, é tão comum os pequenos inventarem palavras.
  • Habilidades Físicas: imitar, rastejar, andar.

Segundo Piaget, o desenvolvimento do processo cognitivo acontece de forma contínua e progressiva, mas todas as crianças atingem os mesmos estágios.

Etapas de Desenvolvimento Cognitivo em Crianças

  • Estágio sensório-motor: de 0 a 2 anos
  • Fase pré-operatória: de 2 a 7 anos
  • Estágio operacional concreto: de 7 a 11 anos
  • Operacional formal: a partir de 11 anos

É caracterizado pela forma como a criança começa a entender o mundo, unindo experiência sensorial e atividade física. É neste período que os reflexos inatos do pequeno se tornam melhores.

  • Reflexos simples: desde o nascimento até a 6ª semana o bebê terá três reflexos primários, como: sugar objetos, seguir objetos moventes ou interessantes com os olhos e fechar a mão quando está com um objeto na palma.
  • 6 a 16 semanas: Primeiros hábitos. O pequeno está começando a ser mais consistente, por isso, ele imita e reproduz algumas reações com seu próprio corpo.
  • 4 a 8 meses: Repetem ações mais agradáveis.
  • 8 a 12 meses: Suas ações são orientadas para seus objetivos.
  • 12 a 18 meses: Novidade e curiosidade. O pequeno começa a explorar e a investigar objetivos. Piaget chamou este estágio de "jovem cientista".
  • 18 a 24 meses: Internalização de esquemas. É o estágio da criatividade e a criança usa símbolos primitivos para representações mentais duradouras.

A escolaridade da criança começa, geralmente, aos 3 anos, o que traz muitas mudanças na área sócio afetiva, importante para o desenvolvimento social significativo, pois é quando inicia a interação com outras crianças e adultos.

Crianças entre 2 e 7 anos são curiosas e querem aprender, por este motivo, elas perguntam muito. É a fase dos “porquês”. Elas têm um vocabulário mais amplo, mas ainda são guiadas por um "pensamento egocêntrico" e pensam de acordo com suas experiências individuais, mas ainda falam na terceira pessoa, por não compreender completamente o conceito do “eu”, que os separa do resto do mundo.

Além disso, é comum que, neste estágio, as crianças deem características ou sentimentos humanos aos objetos.

Nesta fase, as crianças usam o pensamento lógico em situações concretas e nas tarefas mais difíceis, como os problemas matemáticos.

Para Piaget, o estágio concreto é um grande ponto de inflexão no desenvolvimento dos pequenos e definiu como o início do pensamento lógico, também chamado de operacional.

É importante saber que a criança agora é madura para usar o pensamento ou as operações lógicas, só não pode aplicar essa lógica para objetivos físicos.

Existe uma série de operações pertinentes ao estágio concreto:

  • Conservação: entende que algo permanece com a mesma quantidade, mesmo que sua aparência mude.
  • Classificação: identifica propriedades das categorias e usa informação categórica para resolver problemas.
  • Seriação: a criança consegue organizar mentalmente os itens de uma dimensão quantificável, como altura ou peso.
  • Reversibilidade: reconhece números ou objetos que podem ser alterados e retornados à sua condição original. Um exemplo é que a criança já entende que uma bola que se desinfla não sumiu, mas que pode ser preenchida com ar.
  • Transitividade: reconhece as relações entre várias coisas em uma ordem serial. Por exemplo, o pequeno já consegue guardar os livros por ordem de tamanho.
  • Descentramento: considera múltiplos aspectos de uma situação. Por exemplo, a criança consegue escolher entre dois doces, de mesmo tamanho e cor, baseado em seu sabor favorito.

Esse último período é caracterizado pela aquisição do raciocínio lógico, então a criança tem a capacidade de formular uma hipótese sobre algo que ainda não aprendeu.

É nesta fase que o aprendizado ocorre como um todo, de forma concreta.

Quando algum atraso no desenvolvimento deve ser considerado preocupante?

Os pais são os maiores especialistas do seu filho, eles o conhecem melhor do que ninguém. É importante destacar que os períodos sensíveis ao aprendizado acontecem na primeira infância, ou seja, o período do aprendizado de habilidades como a área da linguagem, habilidades motoras, desenvolvimento cognitivo, atenção e memória são essenciais para a criança e é preciso estar atento quando há possíveis atrasos.

É importante que, caso os pais tenham alguma suspeita de atraso, informe o pediatra, que poderá fazer a investigação necessária.

Sabemos que cada criança é única, mas estar perto, observar, estimular e buscar respostas também é fundamental, por isso, brinquem muito com seus filhos!!

Referências bibliográficas
1. Jean Piaget e os estudos sobre o desenvolvimento humano. Maria Angela Barbato Carneiro – http://www4.pucsp.br/educacao/brinquedoteca/downloads/artigo-jean-piaget-e-os-estudos.pdf
2. O Desenvolvimento da Criança nos Primeiros Anos de Vida. Durlei de Carvalho Cavicchia – https://acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/224/1/01d11t01.pdf

Compartilhe:

Rinosoro SIC 3%. cloreto de sódio. Indicações: descongestionante nasal, indicado para congestão nasal, obstrução nasal e nariz entupido. MS 1.7817.0081. Rinosoro SIC / Rinosoro SIC Infantil / Rinosoro Jet/ Rinosoro Jet XT /Rinosoro Jet Infantil. cloreto de sódio. Rinosoro Gotas/ Rinosoro XT. cloreto de sódio e cloreto de benzalcônio. Indicações: fluidificante e descongestionante nasal. MEDICAMENTO DE NOTIFICAÇÃO SIMPLIFICADA RDC ANVISA Nº 199/2006 AFE nº 1.07817-7. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. Rinosoro aspirador nasal é um produto para saúde. Novembro/2020.